Não tenha banzo. Tenha telefone

africardTá com saudades, nêgo? Seu amor atravessou o Atlântico para comprar um maço de cigarros e nunca mais voltou?

Nada de banzo, amigo. Telefone! Pra falar coisas que só a gente entende.

Esquece essa coisa de tecnologia moderna, vá ao orelhão, tem coisa mais linda do que ligar de orelhão? Ali, no centro da cidade, com a multidão de backing vocal. “Fale alto mesmo grite não se importe.”

Para isso tem o AfriCard, que vem em fashion estampas animais zebra, leopardo e gata. Segundo o vendedor da banca de jornal do Largo da Carioca, com apenas R$ 10 dá para falar 50 minutos com a África.

E na África, vocês sabem, são três horas da manhã. “Mas nossa onda de amor não há quem corte”.