Abbey Road (entrelinhas)

– Ele postou uma foto da capa do Abbey Road no mural.
– E daí?
– Como e daí?! É um recado. Um recado explícito. Você não tá vendo?
– Não.
– Você não sabe o que é Abbey Road?
– Um disco. Dos Beatles.
– E….
– E… ele gosta de Beatles.
– O disco daquela capa clássica deles atravessando a rua. Lennon em primeiro. Depois o Ringo, Paul e George.
– Humm… Humm. Sei.
– Você sabia que a ordem era essa?
– A ordem dos Beatles altera o resultado?
– Não. Te falei do nosso último encontro?
– Falou. Você se desesperou e atravessou a rua correndo, aos prantos.
– Exatamente. E ele gritou: “porra, atravessa pelo menos na faixa, sua idiota frígida!”
– Ele gritou isso?
– Não te contei na época. Era só um detalhe.
– Ele gritar no meio da rua que você era uma idiota frígida era um detalhe?
– Isso foi semana passada. Eu estou falando de hoje. Concentra em Abbey Road. Eu correndo na rua, ele gritando, os Beatles atravessando na faixa. Tá na cara! Ele tá pedindo pra voltar!
– Não pode ser outro motivo?
– Qual?
– Tipo… ele gosta de Beatles.
– Se é por isso, como você explica o comentário ao lado da foto?
– Qual?
– Lindo.
– E daí?
– Como e daí? Eu: Melinda. E ele vai lá e escreve, pra todo mundo ler: Lindo.
– Você está tomando alguma coisa?
– Ansiolíticos. O cara da farmácia me vende sem receita. Mas não muda de assunto. Concentra em Abbey Road.
– Tô concentrada. Beatles atravessando. Lennon, Ringo, George e Paul. Acertei?
– Já te falei que não importa! E sabe o que eu fiz?
– O que?
– Curti!
– E daí?
– Como e daí? Não é possível que você não saiba ler nas entrelinhas. Eu acho Beatles um saco!