Manifesto pelo direito de querer fiu-fiu

De repente, a campanha estava na rua. As mulheres não querem mais um fiu-fiu. Elas acham extremamente ofensivo, praticamente um assédio sexual. Querem ter o direito de passar pelas obras da construção civil que se multiplicam em nosso país no e ouvirem … o mais absoluto silêncio. Já vejo um asteroide gigante vindo em direção à Terra decretar o fim do mundo.

E logo o “fiu-fiu”, a mais ingênua e musical das cantadas!

As mulheres não querem mais receber elogios de anônimos. Não querem mais que um passante que diz “coisa linda” só, assim, por dizer. Não querem mais aquela piscadinha cheia de amor enquanto o caminhão está parado no sinal. Feirantes estarão impedidos de dizer que “mulher bonita não paga”. E também não leva. Coitado do fiu-fiu. Durante toda sua existência pensava que era só alegria. Agora, está mais rejeitado do que Snowden em aeroporto russo.

Acabou o fiu-fiu, acabou a poesia no mundo. Pois a cantada mais linda que recebi em toda essa vida foi quando estava perdida no bairro da Saúde. Depois de três voltas passando pelo mesmo bar alguém me disse assim: “tudo que é bom vai. e volta”. Por isso, volta, fiu-fiu, volta.

PS: a que vos escreve é amplamente contra a campanha anti fiu-fiu! Resistência já!