Pilobolus: teatro de sombras

No sonho de uma menina, ela encontra seres misteriosos até que um deles a transforma num cachorro. Meio menina meio cão, ela se perde nesse mundo. Essa é a história de “Shadowland”, espetáculo do grupo americano Pilobolus que está em turnê pelo Brasil. Assisti ontem no Theatro Municipal , no Rio. Hoje acontece a última apresentação na cidade e depois, nos dias 7 e 8, fazem os últimos shows em Belo Horizonte.

E foi simplesmente sensacional. A maior parte da história é contada nessa brincadeira de sombras, depois de muitos anos de pesquisa . E os bailarinos – e iluminadores – se transformaram em gênios da luz (e da falta). São elefantes, flores, monstros, chão, móveis. A cena em que ela é transformada em em cão merece ser vista, revista, lembrada para sempre.

E enquanto a menina-cão ela vaga desesperada com sua nova condição surgem novos personagens. Encontra um cowboy, parte em viagem com ele, fuma maconha, vai parar em um circo de aberrações, foge, é perseguida. Nas projeções, planos de cinema e de desenho animado se misturam. As sombras surgem em enquadramentos de histórias em quadrinho. A trilha você escuta aqui.