A estranha

Eu não sabia quem era ela e, quando fui ver, era eu. Eu, que tinha ido comprar cigarro na esquina faz um tempo e demorei pra voltar. Seja bem-vinda, a casa é sua, vou te fazer um café, um chá de hortelã gelado, um cafuné.

Arquivado em:maistextos

Sobre o Autor

Escrito por

caótica, escritora, jornalista, roteirista, o outro blog é o defeito.com, rio de janeiro.