elevavale

A arte inútil de espantar fantasmas

Fantasmas são assim: chegam sempre sem avisar. Jamais tocam a campainha – simplesmente porque nunca devolveram as chaves. (E você pediu?) Tem em comum a irritante falta de cerimônia: botam o pé no sofá até mesmo de sapatos, nome sofisticado que damos aos tênis. Sempre vem cheios de saudades. Perguntam pela cerveja gelada e pedem para ver aquela velha caixa de fotografias. Uns te levam logo pra cama e sussurram os bilhetes de amor colecionados durante anos. Outros são apenas o espelho do que há de pior em você. Não peça, educadamente, que eles se retirem. Seria idiota da sua parte. Eles estarão sempre com você.

Como tentar não custa, mude de endereço de tempos em tempos.