defeito_medo

Fico não

Quando eu estava na porta, veio atrás de mim. Avisei logo que iria sozinha. “Sair?” Tirando minha mão da maçaneta com delicadeza, ele disse assim: “Mas o mundo só é perfeito aqui.” Seus dedos escorregando pelas minhas costas. Devagar. “Nossa cama é gigante, poderíamos foder nela a noite inteira.” Um beijo. Só que eu, eu e meus ossinhos quebrados, daquela vez disse não. E reaprendi: o mal que o mundo pode me fazer é sempre menor do que o mal que Ele me faz. Qual é o seu nome mesmo, rapaz? “Eu sou o seu Medo. Fica comigo, nega”. Fico não.