A criatura

Era um monstro de graxa preta e voava entre os edifícios. Delicado. Misterioso. Planando, grudou em uma antena parabólica e danificou sua estrutura para sempre, mas isso só iriam descobrir no dia seguinte. O céu estava cheio de estrelas e eles ficaram na janela mais um pouco, em silêncio, encantados. Que linda aquela criatura japonesa que chegou ao Leblon.

Arquivado em:Uncategorized

Sobre o Autor

Escrito por

caótica, escritora, jornalista, roteirista, o outro blog é o defeito.com, rio de janeiro.