Nossos trecos e troços

trecos

Tem muito tipo de pessoa por aí. Existem pessoas que têm trecos e troços.

Treco é diferente de troço, embora nem eu mesma tenha chegado a uma conclusão exata sobre isso. O troço é uma criatura fiel, sempre te acompanha, até nos piores programas. Alguns ganham nomes científicos e posologia recomendada. Outros, pairam por aí sem explicação. Já o treco é o troço avulso, o bom e velho varejo da banca de jornal. É o troço em seu momento gerúndio, só conjugar para entender: “Me acode, eu estou tendo um treco.” O treco vem e passa. O troço nunca te abandona. Quem tem troço sempre tem trecos. Mas você pode ter uns trecos e não ser considerada uma pessoa de troços. Não é o meu caso. Eu sou uma pessoa que tem trecos e troços.

Eu sei que vocês não gostam dos nossos trecos e troços. A gente também não. A gente odeia eles mais do que tudo. Mas com o tempo, vamos estabelecendo regras de convivência, fazemos piadas e levamos até para tomar sorvete. Queríamos (por alguns segundos) ser que nem vocês, humanos ajustados e perfeitos. Vocês enfrentam a vida sem dar bandeira. A gente vai lá e tem um treco. Não é culpa nossa. Vou escrever em letras bem garrafais para vocês entenderem isso de uma vez por todas: NÃO É CULPA NOSSA. Foi o bingo divino. Vocês foram sorteados com um conjunto de baixelas inox. A gente, com os trecos e troços. Em suma: vocês deveriam ser gratos. Mas não.

Qual de nós – pessoas dos trecos e troços – não ouviu, pelo menos uma vez na vida, uma destas frases. “Lá vem você com seus troços”. “Não me venha ter um treco”. Pois se você já disse (ou pensou) estas pérolas , este texto foi escrito para você.  Pois se você já fez um comentário irônico quando era para dar colo ou supõe que nossos trecos são pura incompetência, falta de terapia ou de suco detox, este texto foi escrito para você.  Sim, eu poderia interpretar isso como o seu medo. O medo dos trecos que você esconde no armário. O medo do troço final que dele ninguém escapa. Mas hoje não estou com esta boa vontade.

Este texto foi escrito para – em nome de todas as pessoas que têm trecos e troços – te mandar, formalmente, À MERDA. Te mandar, amorosamente, À MERDA.

Desculpe a falta de jeito, tava pra fazer isso há muito tempo.