Grêmio Recreativo do Draminha do Ano Novo

anoÉ só mais uma voltinha da Terra ao redor do Sol, fico assim repetindo o mantra, já já passa, mas aí vem o pensamentinho, como odeio pensamentinhos, o pensamentinho sobre a incapacidade de parecer suficientemente feliz como o momento pede sorriso colgate champanhe boa. E  2015 fuma o cigarro e vem perguntar se foi bom pra você, aquela continha detestável em que contabilizamos os amores e as dores, e é aí que chegam as garotas mais simplórias que eu conheço, quando andam juntas, então, a culpa e a esperança, suas falsas, estúpidas. Quer saber, me deixem,  desta vez não vai dar, meninas,  não me arrependo de absolutamente nada e também nada espero. Sim, não quero nada de 2016-  o que vier eu traço – mesmo que venha o fim do mundo, tô de buena, só peço que seja uma bola de fogo linda e, se não for pedir muito, num fim de tarde na praia.