Fica, Carnaval

ficaFica, Carnaval, que vai ter bolo. Fica. Faço tudo que você quiser, te juro. Te dou comida, roupa lavada e o que mais você pedir. Passo café que é uma beleza. Te prometo os maiores dengos e e as mais novas obscenidades. Te dou a senha do wifi. O meu amor descabido. Fica que vai ser lindo. Não me larga assim, criatura, como quem vai na esquina comprar cigarros e volta só no ano que vem como se não fosse nada. Fica pra sempre, não faz a micareta, vai. Fica, Carnaval, eternamente, mas sem papel passado, só união instável, eu, você e o mundo. Sim, sim, eu sei. Já fiz a sua caveira e falei mal de tu pelas ruas. Barbaridades, confesso. Me perdoa. E fica. Vou passar o resto da vida te jogando confete, falando como és o maioral, não me importo nem com os pequenos maltratos, as minhas marcas roxas e as olheiras por baixo do glitter.
Fica que eu te prometo o paraíso que você finge existir.
Fica, Carnaval, a casa tá uma bagunça e de vez em quando eu choro.
Mas fica, fica, fica.