A fábula da mulher impossível

Em outras rodas, e pelas ruas, e pelas bocas, em velhas juras.
Em novas dores, com outros homens, em todas camas, e seus amores.
Nos mesmos erros, antigos trastes, em todas brasas, no carnaval.
Sempre nos bêbados, nos seus rascunhos, nos infelizes,  na solidão.
A mulher impossível está do outro lado da porta.
Esperando que você abra.