Amanhã é um dia triste

“No final tudo dá certo.”
Sempre detestei este tipo de consolo. A começar pelo óbvio: no final, morremos. Eu sei que isso é spoiler, um detalhe incômodo, mas é assim que é . No final, morremos.
Depois?  Talvez poeira cósmica. Andar pelas nuvens de camisolão . Voltar como bebê e recomeçar do zero.  Aí, amigos, é uma questão de crença. Mas, seja qual for a alternativa, essa não é a minha ideia de “dar certo”.  Duvido que seja a sua. Por isso, vamos ser sinceros uma vez na vida. No final, morremos. No final, tudo dá errado.

E o final, muchachos, é amanhã.
Amanhã é um dia triste.
Sem essa de panos quentes,  não cantarola “levanta e sacode a poeira”, faz favor, não diz que “a revolução é interior”, isso é mentira, te peço, não vem lembrar que a vida tem coisa boa,  o novo Woody Allen,  praia,  picadinho, cachoeira, amor, beijo no cangote, paçoca.

Tristeza não se afasta. Tristeza se respeita.
Amanhã é um dia triste pra caralho.