De textos

Onde as dores se encontram

Ela era nova ali e, como sempre costumava acontecer, chegou com jeito de pouca conversa. Apenas ajeitou os óculos escuros e pediu: – Um café. Do outro canto do balcão, veio o comentário em voz baixa. – Isso aí é amor. Conheço de longe. Quem disse foi a Marca de Vacina que, estando ali quase…

Quando era asa, voei

Quando era asa nadei. Na correnteza do vento. No chão, rainha é a areia. E os grãos que tudo devoram. Quando era asa, voei. Da sua mentira, cai.

Beijocas, não

“Então,  beijocas”. Fico olhando perplexa para aquela mensagem.. Beijocas. Beijocas. É, boy. Vou ter que sacar meu três oitão. Porra, beijocas não. Qualquer coisa, mas beijocas não. Beijocas é a covardia em letras miúdas no zap. Não tem nada mais broxante do que beijocas. Vindas da boca de um ex.  E essa  boca já fez…

Amanhã é um dia triste

“No final tudo dá certo.” Sempre detestei este tipo de consolo. A começar pelo óbvio: no final, morremos. Eu sei que isso é spoiler, um detalhe incômodo, mas é assim que é . No final, morremos. Depois?  Talvez poeira cósmica. Andar pelas nuvens de camisolão . Voltar como bebê e recomeçar do zero.  Aí, amigos,…

Antitutorial da vida

Não sei. Marcenaria, tricô, quais são todos os países da Europa, japonês. Minecraft, tocar violão, costurar um capuz de unicórnio ou panda. Técnica contra assalto de um roubo de bolsa. Em dois golpes. Olho gatinha com delineador. Falar “Rihanna” direito. Me atrapalho. Também. Na diferença de quati para guaxinim. Sei. Receita de tiramisú. Contar abismos.…

A mulher impossível

Em outras rodas, e pelas ruas, e pelas bocas, em velhas juras. Em novas dores, com outros homens, em todas camas, e desamores. Nos mesmos erros, antigos trastes, em todas brasas, no carnaval. Sempre nos bêbados, nos seus rascunhos, nos infelizes,  na solidão. A mulher impossível está do outro lado da porta. Esperando que você…

As queridas ficam

Que tem machismo, a gente já sabia. E que a misoginia anda por aí de boas, pois é. É tão escancarado, que um homem que bate em mulher vai se candidatar a prefeito e é isso. Ontem foi um circo dos horrores, tá claro. Teve gente dedicando voto a torturador. E tudo. Conforme a votação…

Fica, Carnaval

Fica, Carnaval, que vai ter bolo. Fica. Faço tudo que você quiser, te juro. Te dou comida, roupa lavada e o que mais você pedir. Passo café que é uma beleza. Te prometo os maiores dengos e e as mais novas obscenidades. Te dou a senha do wifi. O meu amor descabido. Fica que vai…

Meu protagonismo é uma arma pra te conquistar

Enquanto isso, nas escadarias da Cinelândia… – Abaixa aí este cartaz! – Por que? – O protagonismo é nosso! – Mas eu estou do lado de vocês. Vocês não sabem que esse cara é. Ele é tipo o Cunha da Argentina. Ficou aquele climão. O argentino de coque samurai podia ou não ficar com seu…

É linda quando se diverte

Lamber suas botas. Cair aos seus pés. Mas cada passo que eu dou. É um passo dado. E é linda quando dança É linda quando se diverte Es linda cuando se divierte. Es linda cuando baila. * “Es linda cuando se divierte” , a última frase que eu ouvi em Montevideo. Um novo mantra, um…

Carta para um amor platônico

Você me pegou pela mão. E me levou, sim foi você que me levou, para os lugares mais lindos que dá pra imaginar. A gente dançou umas músicas ótimas, assim, no meio da sala, coisa de casal. Fez promessa e tudo, pacto de sangue, coração selvagem. Mas aí você foi lá e descobriu. Sim, que…

O encontro da Mulher Sonsinha com Deus

Ela queria muito aquele cara, muito mesmo, coisa de louco. Mas tinha como regra de vida sempre se fazer de difícil. Era seu artifício, dizia que só assim ele ia ficar na dela,  o lance era prolongar o desejo ao máximo. O desejo dele, no caso.  Os homens gostavam disso, garantia, e ainda citava um…

Esqueça

Esqueça todo o resto. A vida é uma tarde ao redor de uma mesa com bons amigos, por favor mais quatro cafés, garçom mais oito cafés, garçom, mais vinte cafés. Esqueça todo o resto. A vida é uma tarde em uma cama cheia de amor, não importa que amor é esse, é só o melhor…

Meu fogo

Tão quente a chama, depois incendiou É brasa, assopra, inflama, é do coração É pleno, não escondo e tudo mereço Apago no silêncio que surge entre nós Mas fogo era eu, se eu era ventania Fogo serei, rainha, serei vendaval Sou chuva, água, ouro eu sou gaivota Espuma, tempo, onda, eu sou tempestade